quarta-feira, 11 de março de 2009

Um Poema em Nome de Gláucia

Um Poema em Nome de Gláucia

(Por seus lúcidos 18 anos)



O universo

continua crescendo

do céu ao meu quarto

nasci de um parto

e permaneço nascendo:



sendo mulher

nasço-me Sereia

GlauSereio-me

no que espalho

GlauSereio-me

no que unifico

GlauSereio-me

quando parto

GlauSereio-me

quando fico

GlauSereio-me

no Ser que gero

GlauSereio-me

no som que teço

GlauSereio-me

quando dilacero

GlauSereio-me

quando envelheço.



Pra atingir a maior idade

preciso da cronologia

mas, prefiro a mental-idade;

a Vida toda é um só Dia

onde terei felicidade

em viver com a Sofia

que me deu luminosidade

quando a pari - pura Poesia.



Heleno Álvares

05/03/2009

2 comentários:

  1. Heleno, não sabe o quanto me sinto lisonjeada por seu carinho, e agradeço novemente pelo poema lindo.

    Obrigada!
    Beijo

    ResponderExcluir